Tuesday, August 04, 2015


A alma sobrevive à morte do corpo? Essa é uma questão mais debatida do que se pensa. Eu estava eu em um fórum cristão debatendo alguns assuntos quando uma pessoa (provavelmente Testemunha de Jeová, apesar de não admitir nem negar) entrou postando longos textos que ele copiou do Watchtower Library. Reconheci na hora os textos. Isso cria uma discussão desigual porque tudo o que ele tem que fazer é copiar e colar os longos textos enquanto a gente tenta digitar uma resposta. Os textos são tão ridiculamente longos que realmente cansam. E o assunto que ele sempre defende nas discussões é: a alma não sobrevive à morte da pessoa.
O argumento basicamente se desenvolve da seguinte forma:
  1. A palavra para alma no hebraico é nefesh que quer dizer pessoa. Não algo separado do corpo, mas o próprio ser humano.
  2. Eclesiastes 9.5 e 10 diz assim “Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos nada sabem” e “O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria”.
  3. Portanto, a alma não sobrevive à morte.

É basicamente isso. Você vai encontrar versões mais rebuscadas, mas a síntese do argumento é esse.
Vamos examinar as premissas para ver se elas são verdadeiras.
A palavra hebraica para alma é realmente nefesh, mas ela é uma palavra de grande escopo semântico. Ela pode ser traduzida como “vida”, “pessoa”, “apetite”, “mente”, “alma”, etc. O que irá definir o significado da palavra é o contexto em que ela está. Todo mundo que estudou um pouco de tradução sabe que muitas vezes o sentido de uma palavra se dá pelo contexto. É errado aplicar um único significado. Quer um exemplo de um idioma moderno? Traduza-me em uma única palavra que inclua todos os significados da palavra inglesa “get”. Consegue? Boa sorte. Se isso é difícil com um idioma moderno, imagine com um idioma tão antigo quanto o hebraico. Portanto o contexto irá explicar o que nefesh significa.
E agora a segunda premissa. Eclesiastes 9 não é o único capítulo do Antigo Testamento que trata do assunto. Veja por exemplo, no mesmo livro, esse versículo:
“o pó volte à terra, de onde veio, e o espírito volte a Deus, que o deu.”
Eclesiastes 12.7
Quando o autor fala de pó aqui está se referindo ao corpo (Gen 2.7). O autor não está se contradizendo aqui? No capítulo 9 ele fala que não existe consciência entre os mortos, mas aqui ele fala que o corpo volta a terra e a alma volta a Deus? Como explicar isso?
Simples. Eclesiastes é um livro que se propões a analisar o mundo que está debaixo do sol (Ec 1.13), do mundo físico. E da perspectiva do mundo físico, os mortos realmente nada fazem. E é por essa perspectiva que ele faz suas afirmações do capítulo 9. Quando chega ao capítulo 12 ele aumenta a perspectiva da sua análise trazendo o mundo espiritual. Lembra-te do teu Criador. Faça isso antes que seu corpo volte a terra e seu espírito a Deus. Por quê?
Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mal.
Eclesiastes 12.14
As duas premissas são falsas, portanto a conclusão também é falsa.
Além disso, consideremos outros textos:
Mas Deus redimirá a minha vida da sepultura e me levará para si.
Salmos 49.15

Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno.
Mateus 10.28

Temos, pois, confiança e preferimos estar ausentes do corpo e habitar com o Senhor
2 Coríntios 5.8

Quando ele abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas daqueles que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que deram.
Eles clamavam em alta voz: "Até quando, ó Soberano santo e verdadeiro, esperarás para julgar os habitantes da terra e vingar o nosso sangue? "
Então cada um deles recebeu uma veste branca, e foi-lhes dito que esperassem um pouco mais, até que se completasse o número dos seus conservos e irmãos, que deveriam ser mortos como eles.
Apocalipse 6.9-11 (compare esse texto com Mateus 10.28).
Portanto a Bíblia ensina que a alma sobrevive à morte do corpo. Não se deixe enganar. Tem muita gente por ai ensinando o contrário do que ensinam as Escrituras, que a alma não sobrevive a morte. Se isso for verdade, apenas viva a sua vida e o pior que vai acontecer com você é deixar de existir. Nada mais. Sem inferno. Sem julgamento. Sem justiça. Mas a Bíblia alerta sobre gente assim:
Eles tratam da ferida do meu povo como se não fosse grave. ‘Paz, paz’, dizem, quando não há paz alguma.
Jeremias 6.14

Posted on Tuesday, August 04, 2015 by Maurilo e Vivian

No comments

Monday, August 03, 2015

segundas com termos da teologia hoje agostinho



casuística:

Tentativa de formular regras éticas ou padrões universais que possam ser aplicados em situações específicas para assegurar o comportamento moral. Em outras palavras, casuística é a tentativa de estabelecer regras gerais que possam tratar de questões éticas específicas.

Fonte: Dicionário de Teologia, edição de bolso. Ed. Vida.

Posted on Monday, August 03, 2015 by Maurilo e Vivian

No comments

Sunday, August 02, 2015


Ontem a Vivian e eu assistimos “Deus não está morto” na Netflix. Gostamos do filme. Já tinha ouvido falar bastante sobre ele, mas não tinha interesse real de ver. Enquanto aguardávamos o início do UFC 190 (como bons alunos de Muay Thai) resolvemos assistir o filme.
E eu gostei. Na verdade, gostei mais do que achei que iria gostar. A ideia de ir contra um professor na sala de aula não me agrada porque quem tem o microfone (ou a autoridade final na sala) sempre vence, mas foi muito bom.
Eu gostei do filme por dois motivos.
O primeiro, por mostrar que os nossos jovens estão sendo assaltados intelectualmente nas universidades. É muito comum um jovem que passou a vida inteira na igreja se desviar quando chega à faculdade. Por quê? Porque ele nunca foi treinado e preparado para esse momento. Durante a maior parte de sua vida ele esteve sob a proteção da igreja, dos pais, em um ambiente controlado e de poucos desafios. Muitas perguntas nunca foram feitas (como por exemplo, se Deus existe, por que existe tanto mal no mundo?) e mesmo as que foram feitas nunca foram realmente respondidas. Quando esse jovem chega à faculdade suas convicções são testadas até o limite e muitas vezes esse limite é pequeno. “Pai, mãe, eu não acredito mais que Deus existe.” Isso é mais comum do que a gente imagina.
Por isso eu sou a favor de treinarmos os nossos jovens para prepara-los para esses momentos. Não apenas ensiná-los, mas treiná-los como fazemos no Muay Thai. O professor ensina um golpe ai você vai lá e faz. Depois você vai fazer esse golpe combinado com outros. Depois vai fazer contra um aluno mais graduado que você para pegar agilidade, força e coloca-lo em uma situação mais próxima possível da realidade. É assim que eu encaro o treinamento em apologética de nossos jovens. Mas estamos longe disso.
O segundo motivo que eu gostei do filme é que o aluno que defende a existência de Deus usou os três argumentos clássicos de um curso de apologética: o argumento cosmológico, o argumento teleológico e o argumentomoral (clique nos links para ver o Dr. William Lane Craig explicando rapidamente cada um). Apesar de só tocar superficialmente cada argumento, foi bem legal vê-los em um filme. Foi mais legal ainda ver uma citação de John Lennox destruindo um argumento bem fraquinho de Stephen Hawking. E ele ainda fecha com um pouquinho de apologética pressuposicional, quando faz o professor admitir que ele odeia aquilo que diz não existir. É como eu falo sempre, o lema do ateu é “Deus não existe e eu O odeio”.
Se você não assistiu ao filme, recomendo que o faça.

Você está pronto para defender sua fé? E se fosse você na sala de aula? E se fosse seu filho? Seus jovens do grupo da igreja? O que vamos fazer? Vamos deixa-los à mercê dos assaltos intelectuais ou vamos treiná-los para apresentar o cristianismo verdadeiro também no ambiente universitário? Essa é uma luta que não podemos abandonar.

Posted on Sunday, August 02, 2015 by Maurilo e Vivian

No comments

Saturday, August 01, 2015



Hoje fizemos evangelismo no Bosque Maia em Guarulhos. Foi bom. Muito bom na verdade. Tivemos algumas conversas interessantes. Uma das conversas foi um exemplo clássico de evangelismo bíblico. Infelizmente não gravamos, mas já sabemos de um lugar bom para fazer isso. Em breve teremos vídeos de evangelismo para você ver como usar a Lei de forma efetiva.
Mas eu gostaria aqui de explicar como fizemos a abordagem. Tínhamos um plano. Nós ainda temos algumas das moedas da Living Waters com os 10 Mandamentos. Está em inglês, mas ainda assim chama a atenção (veja a imagem acima). Então, andando pelo lugar, procurávamos por pessoas sozinhas e que estivessem sentadas. Aí eu sentava do lado da pessoa e falava “Bom dia, tudo bem? Você já viu uma dessas?” Eu entregava a moeda e falava que era uma moeda com os 10 Mandamentos. “Você se lembra de alguns dos Mandamentos?” E pronto, já havíamos entrado no sobrenatural.
Daí para frente a conversa segue naturalmente. “Você acredita que existe um céu e um inferno? Para onde você iria? Vamos fazer um teste para ver como você se sai quando comparado com os 10 Mandamentos?” Deus abençoou e as conversas foram muito estimulantes.
Queremos fazer evangelismo pelo menos uma vez por mês e vamos anunciar aqui no blog para que você também possa participar se quiser.
Mas mesmo que não venha com a gente, eu quero te desafiar a fazer evangelismo onde você está. Ore em relação a isso. Peça a Deus para que ele te envie as pessoas, que prepare o coração delas. Peça que ele te dê coragem. Leia Provérbios 28.1. Tenha um plano de abordagem. E vá para a rua. Tenho certeza que Deus irá te abençoar. É impossível Deus não querer que você evangelize.

Vá e compartilhe sua fé.

Posted on Saturday, August 01, 2015 by Maurilo e Vivian

No comments