Monday, January 19, 2009


Essas humildes sugestões para a oração inaugural do American's Top Pastor Rick Warren podem ser conferidas no site http://www.newswithviews.com/Jackson/nicholas120.htm, de Nicholas Jackson. Mesmo não concordando em absolutamente todos os pontos, acho que essas sugestões são muito bem vindas!
“Senhor, nós começamos esse ano com nossas cabeças abaixadas e nossos corações contritos.
Nós negligenciamos sua Palavra e seus Mandamentos.
Perdoa-nos por abraçarmos mudança sem arrependimento.
Perdoa-nos por colocar nosso país à frente de Cristo.
Perdoa-nos por adorarmos nossa escolha presidencial.
Por promovermos pragmatismo e endorsarmos o mal.
Lembra-nos que nosso voto é a moeda de nossa virtude.
Perdoa-nos por aplaudirmos uma Ester (Palin), quando ela era um sinal do Julgamento de Deus.
Lembra-nos que julgamento começa na Casa de Deus.
Perdoa-nos por colocar nossas isenções tributárias à frente de Cristo.
Perdoa-nos por ensinar que Deus é um Deus de amor mas não um Deus de julgamento e ira.
Por criarmos um deus à nossa imagem e por adorá-lo.
Por pregarmos paz, paz, quando não existe paz.
Perdoa-nos por amarmos os pecadores até a morte, quando Deus diz que odeio aqueles que fazem iniqüidades.
Perdoa nossa igreja americana complacente.
Por usarmos o arrebatamento como desculpa para nossa preguiça.
Por usarmos impostos para lutarmos contra a pobreza, quando a igreja deveria estar servindo os pobres.
Perdoa-nos por usarmos vidas inocentes para melhorar nossa vida.
Por acreditar que a vida começa na concepção mas permitir experimentos com embriões.
Lembra-nos que não pode haver segurança financeira se não houver segurança no ventre.
Perdoa-nos por combater a AIDS (o que devemos fazer) sem combatermos o pecado que está em sua raiz.
Por fazermos do aquecimento global nosso ídolo.
Senhor, que venhas a usar essa tempestade financeira para que possamos confiar mais no Senhor do que em nossos investimentos.
Traga os corações dos pais para os dos filhos, e traga verdadeiro avivamento para a América.
A mudança está vindo.
No nome de Jesus.
Amem".

Posted on Monday, January 19, 2009 by Maurilo e Vivian

1 comment

Thursday, January 15, 2009


Neste último domingo a Revista da Folha publicou uma reportagem sobre o movimento emergente, ou aquilo que eles chamaram de a fé sob medida. Após ler sobre a atuação do movimento emergente no Brasil (a bem da verdade, estou mais por dentro do movimento americano do que do brasileiro) pude chegar definitivamente a conclusão sobre qual é o meu verdadeiro problema com a igreja emergente.
Mas antes de falar sobre o que me incomoda no movimento emergente, devo fazer um reconhecimento. Eles perceberam que existe um problema nas denominações tradicionais, um preconceito contra pessoas que se vestem de forma diferentes, com tatuagens e piercings, cabelos longos e gosto por rock. Ou preconceito contra aqueles que tiveram uma vida mais pecaminosa do que outros, como se isso fosse de alguma forma possível, pois em uma competição, tenho certeza que todos ganharíamos como o maior dos pecadores. Verdade seja dita, reconheceram que existe esse problema.
Meu problema com os emergentes não está em reconhecer esse problema, mas na resposta que estão dando a ele. A resposta está saindo mil vezes pior do que o problema. A cura está matando mais do que a doença.
Entre várias coisas que a reportagem diz sobre os emergentes, uma me parece bastante enganada. Diz que a igreja emergente “é cristocêntrica, ou seja, os fiéis seguem o exemplo de Jesus”. Mas isso não é verdade. A grande característica desse movimento é ser antropocêntrica, o foco está no homem e na sua cultura. Para os emergentes, cada um deve continuar dentro do seu universo cultural e quem deve se adaptar é Jesus e o cristianismo. O imutável é a cultura, o mutável é Cristo. Portanto, não pode ser cristocêntrica. Cristo vai sendo moldado ao gosto da cultura para que Ele venha a ser aceitável. Acreditam que se Jesus usar óculos escuro e tiver tatuagem as pessoas vão gostar mais dele. Ou seja, a cultura define quem Jesus é e a Ele, Deus criador que sustenta o universo pela palavra do seu poder, cabe o simples papel de se adaptar. Chegam ao cúmulo de chamar Jesus por um nome que ninguém chama a mãe de outro sem arrumar briga. Um palavrão como adjetivo do Deus que morreu por nós. Tudo para mostrar como somos relevantes.
Será esse o plano divino de redenção para a humanidade? Me moldem conforme a sua cultura? Não deveria ser o contrário? Nós deveríamos moldar a cultura, não ela ao nosso Deus.
Tanto é assim que o momento de adoração nada tem a ver com Deus em si, mas sim em satisfazer o gosto pessoal daqueles que estão ali reunidos. O importante é você se sentir parte. São seus sentimentos. Sua expressão. Você, você, você. Eu, eu, eu. Se isso não for antropocentrismo, nada mais é. Eu não tenho nada contra qualquer estilo de música na adoração, seja rock, sejam hinos. Portanto, pouco me importa se a música me agrada. O que importa é se Deus está sendo louvado por aquilo que ele é, não por aquilo que nós queremos que ele seja, não pela minha cultura.
Um grande lema desse movimento é que “Jesus ama a todos”, “Jesus ama os atores pornôs”, e assim vai. Assim afirmam porque querem ser inclusivos de não deixar ninguém de fora. Bom, o que está de errado aqui, não é verdade que Jesus ama a todos? Sim, é verdade, Jesus ama a todos. Ele também ama assassinos, ladrões, blasfemos, pedófilos, terroristas, nazistas. Jesus ama a todos. Só que todos esses que não se arrependeram de seus pecados já estão condenados. A ira de Deus já está sobre eles. Devemos alertá-los disso para que possam correr para os braços do Salvador. O amor de Cristo por elas só fará sentido quando entenderem que seus pecados já as condenaram. E na reportagem e nos texto que tenho lido do movimento emergente, isso nunca é citado. Só o amor, o amor, o amor. Quantas vezes Deus disse na Bíblia que era amor? E quantas disse que era santo? Não só santo, dizia que era “santo, santo, santo”.
Um outro aspecto interessante é que dizem ser inclusivos, não querem deixar ninguém de fora. Com orgulho usam uma camiseta dizendo “Jesus ama os atores pornôs”, mas tenho certeza que nenhum deles usaria uma camiseta escrita “Jesus ama Adolf Hitler”, “Jesus ama os pedófilos”. Poderiam até fazer uma igreja para os pedófilos ou talvez para os assassinos ou para os estupradores. Vão achar muitos desses nos presídios. Mas não é tão legal quando ir atrás da pornografia, pois no final das contas ela é tolerada. Você pode ser cristão e pornógrafo. Que o diga a Gretchen!
Um dos grupos dentro do movimento vai lançar uma Bíblia com capa como se fosse de um caderno e a bandeira do movimento GLS, com Jesus de óculos escuro e tatuagem. Deus declara que homossexualismo é pecado e eles vão colocar o simbolo desse pecado na capa das Escrituras Sagradas. A cultura acima das Escrituras. Será que eles colocariam a suástica na capa de uma Bíblia se fossem evangelizar nazistas? Será que devemos decorar nossas Bíblias com aquilo que Deus detesta, ou seja, pecado, tudo em nome de sermos legais? Esse é o pensamento de crianças brincando de fazer igreja.
Brian McLaren, o papa do movimento emergente, declarou em uma entrevista que não gostou do filme “A Paixão de Cristo”. Ele prefere “Hotel Ruanda”. É fácil perceber o porque. O filme de Mel Gibson tem o foco no sacrifício máximo de Cristo por nós, ou seja, é cristocêntrico, enquanto o outro filme foca o homem e seus enormes conflitos, ou seja é antropocêntrico.
Como foi dito acima, a cura está saindo muito pior do que a doença. E enquanto muitos brincam de médicos, pessoas estão morrendo. Estamos lidando com eternidade aqui. Um pouquinho de respeito e muita Bíblia fariam bem.

Posted on Thursday, January 15, 2009 by Maurilo e Vivian

5 comments

Wednesday, January 07, 2009


Atendendo a muitos pedidos (na verdade dois) estou postando o link para o arquivo de Michael Youssef sobre “A Cabana”, lembrando que está em inglês com o número das páginas da edição americana. Quando tiver algum tempo ocioso vou traduzir-lo com o número das páginas da edição brasileira. Caso queira ler o texto em inglês clique aqui.

Posted on Wednesday, January 07, 2009 by Maurilo e Vivian

11 comments

Friday, January 02, 2009

Mensagem de nosso pregador preferido (sorry Jonny Mac...) sobre o evangelho, para variar.
Esse video está legendado. É só ativar a legenda na seta para cima no canto inferior direito do player.
Aproveitem.

Posted on Friday, January 02, 2009 by Maurilo e Vivian

No comments

Thursday, January 01, 2009

Essa última noite, após a comilança da Ceia de Ano Novo, eu estava indo de canal a canal na televisão e parei em um programa de uma igreja neo-pentecostal que muitos estavam falando mas ainda não havia tido tempo de assistir. Como eu estava de bom humor, decidi gastar uma hora para ver exatamente sobre o que se tratava. Pela amostra fornecida pela pequena hora assistida, um bom resumo do culto (gravado na sede da igreja, no Brás) seria o seguinte; o pastor, um senhor alto e carismático, entrevista pessoas no púlpito sobre seus testemunhos de milagres. Nesse período de uma hora pude ver pelo menos dez pessoas, que na grande maioria contavam a mesma história: pessoas muito pobres que tiveram problemas graves de saúde, todos desenganados pelos médicos, que não encontravam ajuda em lugar nenhum, conseguiram alcançar cura quando viram o programa do apóstolo (título utilizado pelo pastor), através da oração desse homem e, invariavelmente, por serem dizimistas fiéis. Isso aliás me chamou atenção; mesmo com a variação das doenças, em sua maioria câncer e doenças autoimunes, o fio unificador de todos era que suas graças só foram alcançadas porque eram dizimistas. Percebe-se o quanto isso é vital nessa igreja pois no meio do púlpito (que fica bem no meio da igreja), existe uma placa com os dizeres “um milhão de dizimistas em três anos” (como a câmera se movimentava muito não foi possível confirmar se eram três ou dois anos). De qualquer forma, o narrado acima é um bom resumo da hora de programa que vi.
Como não gastei mais tempo assistindo a esse programa, não posso dizer se em algum momento o apóstolo realmente chegou a pregar o evangelho, mas isso vou deixar para um outro momento, pois pretendo assistir mais do programa e talvez até fazer uma visita ao templo. Mas o que quero refletir um pouco é porque essas curas acontecem nessas igrejas neopentecostais, especialmente as que pregam o pernicioso evangelho da prosperidade. Vou considerar para o benefício da dúvida que essas curas realmente aconteçam, não vou questioná-las nesse momento pelo simples fato que não posso dizer o quanto existe de manipulação ou não. Mas vou partir do pressuposto que essas curas são reais.
Então, quem realiza essas curas? Em um primeiro momento, pensei que a força por trás dessas curas pudessem ser demoníacas. Mas isso para mim não faz sentido porque, por mais que a mensagem pregada seja uma total deturpação do evangelho, eles ainda assim declaram que essas curas foram em nome de Jesus. Enquanto refletia sobre isso, imediatamente me veio à mente o texto de 2 Timóteo que diz: “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas”.
Esse texto nos diz que muitos possuem os pregadores que merecem, pois é exatamente isso que desejam. Não querem mais ouvir sobre o verdadeiro evangelho, mas sim as baboseiras de seus líderes. E se conversarmos com essas pessoas, vamos perceber que é exatamente isso que elas querem: cura, libertação, dinheiro. Elas são atraídas a Deus não por amor a Ele, por sua salvação, mas sim porque querem receber os benefícios do cristianismo, mesmo que para isso eles tenham uma visão deturpada de Deus, como se ao invés de ser nosso Redentor, ele fosse nosso Papai Noel.
Um outro texto que me ocorreu foi o de Romanos 1 que diz que por causa de seu amor ao pecado, Deus deu aos pecadores mais do seu próprio pecado, aumentando ainda mais a condenação sobre eles. Normalmente pensamos sobre esse texto em relação aos pecadores mais terríveis. Mas nada indica que seja uma única categoria de pecadores, mas sim todos os que vivem em rebelião. E se uma pessoa é gananciosa a ponto de usar seu relacionamento com Deus única e exclusivamente para seu benefício, então essa pessoa está vivendo em rebelião e esse texto pode se aplicar a ela. Portanto, para essas pessoas que receberam para si os pregadores que merecem, também recebem sobre elas mais combustível para seus próprios pecados, aumentando sobre si sua condenação. Quando alguém é curado, não por um ato de misericórdia de Deus, mas porque pagou o dízimo e recebeu o direito de ser curada, Deus está curando essa pessoa, não para sua salvação, mas para sua condenação! Pois elas não se aproximam de Deus porque Ele é Deus e estão prontas a entregar suas vidas a Ele, mesmo que isso queria dizer a morte. Elas buscam a Deus para que Ele resolva seus problemas e as deixe ricas. Trocam os benefícios do mundo por vir pelas migalhas desse mundo decaído.
A cura que Deus propaga nesses lugares é a própria condenação sobre esses pregadores e os que os seguem, pois não buscam ao Senhor em espírito e em verdade, mas sim em ganância e enganação.
Como disse nosso Mestre:
"Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade".
Mateus 7:22,23
Ps: eu sei que esse post vai causar alguns comentários enfurecidos. Tudo bem. Só espero ao menos que usem de um pouco de educação e muita bíblia...

Posted on Thursday, January 01, 2009 by Maurilo e Vivian

4 comments